Quem Somos

Origem

Eficiência energética é um vetor de desenvolvimento técnico, econômico, ambiental e social do país, contribuindo para o uso racional dos recursos naturais e para a segurança energética, postergando investimentos na geração de energia elétrica.

Nesse contexto, a Lei nº 13.280 de 03 de maio de 2016, alterou a Lei nº 9.991, de 24 de julho de 2000, com o objetivo de disciplinar a aplicação dos recursos destinados a programas de eficiência energética, oriunda do Programa de Eficiência Energética das concessionárias de distribuição, distribuindo esses recursos da seguinte forma:

  • 80% aplicados pelas próprias concessionárias e permissionárias de distribuição de energia elétrica, conforme os regulamentos estabelecidos pela ANEEL;
  • 20% destinados a suportar o Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica).

Esta Lei também ressalta que os investimentos em eficiência energética deverão priorizar a indústria nacional, tendo em vista que, o principal setor de economia em termos de energia é o industrial, responsável com 38% do consumo total de energia elétrica do Brasil.

Logo, a implementação de projetos de eficiência energética no Procel Indústria aplicados nos três grandes segmentos da indústria (energo-intensiva, grandes e médias plantas industriais e pequenas e microempresas) traz benefícios diretos para a sociedade e para a economia nacional.

Para a grande e energo-intensiva indústria, um convênio foi assinado entre a Eletrobrás e a CNI criando o PROGRAMA ALIANÇA, no qual 12 indústrias foram submetidas à implantação de uma metodologia inovadora de trabalho para o ciclo 2017/2018, com intuito de inserir a cultura de eficiência energética de forma estruturada na indústria brasileira.

A metodologia do programa é fundamentada na parceria voluntária entre a indústria parceira e a Confederação Nacional da Indústria, com apoio de órgãos governamentais e institucionais, visando ao aumento da competitividade do setor no país.

Neste sentido o Programa Aliança possui alguns diferenciais:

  • Assinaturas de acordo voluntários;
  • Integração Universidade/Indústria;
  • Atuação em processos industriais;
  • Atuação em sistemas térmicos;
  • Cultura de eficiência energética;
  • Recomendação das ações em conjunto indústria/Equipe Técnica do Programa Aliança;
  • Validação das ações em conjunto indústria/Equipe Técnica do Programa Aliança;